segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Mas é pra ontem, oká?!

Deus,

Venho por meio desta com a finalidade de reclamar sobre a alma que me deste, pedindo também que o senhor avaliasse se não houve algum equívoco, se algum querubim distraído não colocou a alma errada no meu corpo. Segue abaixo os motivos que me levaram a escrever essa humilde carta:
Em primeiro lugar: o Senhor me sopraste a vida e dessa vez, aqui na Terra. Como se já não bastasse vir parar nesse mundinho (aff, com tantos outros mais interessantes), ainda me colocaste no Brasil, mais especificamente no Rio de Janeiro. Tudo bem, tudo bem, aceito de bom grado. Se por um lado me puseste aqui nesta terra uó do borogodó, por outro me deste aspectos numerológicos, astrológicos e outros elementos ógicos para me dar suporte nessa odisséia em que vivo. No entanto, minha alma veio meio equivocada, senhor...
Enquanto eu tento arduamente levar a vida como mais uma carioca, suburbana, classe média (se bem que para o Lula sou considerada rica), trabalhando e estudando em busca de melhorias, minha alma não tá nem aí pra hora do Brasil!! Serinho, assim não dá! Enquanto eu estou estudando, lá está ela contando os dias pra chegar sexta-feira. Não sei se te contaram, mas por aqui a parte boa da vida começa na sexta e termina no domingo. Enquanto eu fico decorando fórmulas, leis, regras e exceções, ela fica me dizendo coisas nada a ver, do tipo: “Pra que se tornar burguesa se quando morremos não levamos nada daqui a não ser sentimentos e conhecimentos?” Outro dia ela veio me contar que na verdade ela tá é cansada dessa vida cheia de riqueza material, porque há muitas vidas ela vem assim, montada na grana, sabe...(deve ser por isso que minha alma tem esse jeito meio blasé de ser). Nessa vida ela quer ser diferente. Ela não ta é nem aí pro material, ela só quer mesmo colocar florzinha no cabelo e ir pra Lapa. Quer sambar a noite toda, quer tomar um choppinho com os amigos, quer cantarolar até o dia amanhecer. O bom é que esse surto dura apenas os 3 dias q já te contei. Nos outros ela pára, estuda, lê, se informa, devora livros, ouve música erudita, mas sempre com um pensamentozinho no próximo fds. Quando eu brigo com ela sobre a necessidade de ganhar dinheiro já q estamos vivendo num mundo capitalista, onde money é visto como a maior riqueza que existe, ela vem com um papo muito doido de que dinheiro é sim fundamental, mas q não devemos colocá-lo em primeiro lugar na vida, que devemos olhar ao nosso redor e aproveitarmos cada dia como se fosse o último. Ela me diz também que a verdadeira felicidade está nas pequenas coisas e que as pessoas mais interessantes e evoluídas são aquelas que são desgarradas desse paradigma. E ainda dá uma de profeta, afirmando ainda que eu tenho que acreditar nisso tudo pra saber me relacionar com o mundo material quando melhorarmos o nosso padrão financeiro. Minha alma já me fez jurar de pés juntos que mesmo resolvendo a nossa vida financeira, continuaremos freqüentando a Lapa às sextas-feiras, eu posso com isso? Ninguém merece...
Outro ponto importante: minha vida afetiva. Senhor, desculpa pelas gírias e pela informalidade, mas se me colocou pra viver em pleno Rio, não tem jeito. Não existe um carioca que se preze que não pronuncie o dialeto carioquês, mesmo em cartas necessariamente formais. Então, falando super sério agora, que carma foi esse que me deste, hein?! Puta merda, tenho que xingar. Não, o Senhor não, o meu carma, esse sim merece todos os puta merdas do mundo! Pelo amor que o Senhor tem, o que houve no dia q escreveu minha história? Tava vendo filme de terror, brigou no trânsito, o Leão te pegou na malha fina...???? Tá bom, já sei, é a velha história dos carmas a serem queimados, não é?! Então, mais uma reclamação sobre a minha alma: por que me “presenteaste” com uma alma cheia de carmas a serem queimados, hã?! Porque aí, vai ter carma pra queimar assim no quinto dos infernos!! Minha alma não gosta muito de entrar nesse assunto não, mas outro dia, depois de uns 3 copos de chopp veio confidenciar que nas vidas passadas fez poucas e boas, que fez muito marmanjo chorar, que prometeu amor eterno pra uma dúzia deles e foi isso que acabou atrapalhando tudo. Entra vida, sai vida, e estes prometidos ficam cobrando a pobre mocinha o seu amor eterno.Escuta aqui, Senhor, eu não tenho nada a ver com isso! Eu conheço os caras na hora, aí chega a maluca e diz: “Tá vendo aquele ali? Há 12 vidas me persegue...” Como assim há 12 vidas? Os malucos não desistem não? Não, porque se fosse eu, eu daria um tchauzão pra minha alma porque perseguir essa doida tem que ser muito maluco mesmo! Mas, poxa Senhor, pra falar a verdade acho até bonito isso, sabe... Entra vida, sai vida e as alminhas estão ali, se reconhecendo, se amando, esperando umas as outras pela hora certa... Numa noite dessas, a doida chegou na madruga toda contente falando: “Adivinha com quem acabei de passar a noite?” Quando ela me disse, quase caí dura porque apostava todas as minhas cartas que o fulaninho já tinha me esquecido e tal e que não queria me ver nem pintada de ouro. Tudo bem, pode até ser que não queira me ver mesmo, mas sua alma fica por aí passando as noites com a safada da minha. Ela me conta cada coisa, mas prefiro não escrever porque não tenho nem coragem de descrever as histórias... A doidivana me contou também que o que é nosso tá guardado e que quando o doido-mor se apresentar (ou melhor, se reapresentar, né), a confusão chegará ao fim. Ela me disse q é sempre assim: ele chega, coloca ordem na casinha, casa, tem filhinhos, essas coisas do tipo happy end. É tudo uma questão de tempo. Aff!!!É isso, Senhor.
Essas são algumas das reclamações que reivindico. Peço por gentileza que providências sejam tomadas com urgência! Mas, pensando bem, gostaria de retificar um pedido: caso seja mesmo verdade q houve a troca de alma, peço gentilmente que esta não seja desfeita. Sabe como é, né, 28 anos aturando a mocinha, a gente acaba pegando intimidade. Faz assim, manda mais uma meia dúzia de anjos da guarda porretas que tem aí em cima pra me ajudar a dar conta dessa alminha velha, mas com espírito adolescente, pode ser? Abraço bem apertado, beijo grande e desculpa por qualquer besteira escrita, B. (Roberta Mattoso)

10 comentários:

Snnaff disse...

Não vou postar de novo que desve ser muito difícil ser Carioca!!! hahahah Bjs

Paola Maia disse...

Amiga, amei seu blog. Bem a sua cara. Sucesso!!!!
Ah aí vai o link do meu blog.
http://musicasambaechoro.blogspot.com/

Alê disse...

Ah Roberta, sou suspeito, mais adoro essa sua "alminha", não troca não, fica com essa mesmooooooooooooo!! Beijo e adorei o texto, o blog, as fotos, vc etc! rs

Andre disse...

adorei o biquinho na foto, realmente é dificil comentar algo sobre o melhor lugar do rio de janeiro pq é tudo de bom bjs!!

Christiana disse...

O q eu tinha escrito mesmo? Q eu sou sua fã??? Isso já é fato! hehe
Bjocas!

Paola Maia disse...

Amiga também amei seu bloguinho. Também vou ficar sempre de olho nele para saber as novidades da Lapa. Até porque um blog complemente o outro.
beijos

Gisa disse...

"...prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo..." Querida a essência está na alma..esse jeito nostálgico de ser contagia!! SUCESSO!!! muda não viu?? beijocas e ACELERAAAAAAAA...rsrs...GISA

Anônimo disse...

“...prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo...” A essência está na alma...jeito nostálgico que contagia!! Muda não viu?? SUCESSO!! E ACELERAAAAAAAA!! Rsrsrs...beijocas..Gisa

Taisa disse...

Amei o texto amiga. Pois é essa tal de alma e carma nos dão muito trabalho mesmo... enfim... hahaha...

Leo Pinheiro disse...

Você não tem uma alma; não é um corpo que tem uma alma, você é uma alma...

Que tem um corpo. Emprestado, diga-se.

Logo (não tão logo! rs) terá que devolvê-lo para que ele passe pelas derradeiras transformações.

Durante esse empréstimo, vá transformando ele você também. Para melhor!

Academia, piercing, brincos, tatuagens... Como você quiser.

Mas não se esqueça de transformar a sua alma também. Engorde-a e depois faça lipo, faça, refaça e depois desfaça. Opte e depois se arrependa, não tem problema, mas exercite-a. Sempre!

Beijos